Um breve resumo sobre a Revolução Haitiana

 

O século XVIII juntamente com suas mudanças e novas ideias fez com que algumas colônias aqui da América “desconfiassem” da exploração colonial. Os lemas de igualdade, fraternidade e liberdade dos filósofos iluministas trouxeram os ventos da mudança nas colônias, que só por diferenças étnicas ou religiosas exploravam a mão-de-obra dos desprivilegiados de poder ou riquezas, extraindo suas riquezas, tanto nas minas, quanto nas plantations, este é um interessante resumo sobre a Independência do Haiti, que mais tarde, nós Detetives, abordaremos separadamente sobre os processos deste acontecimento.

 

Um dos mais impactantes exemplos dessa possibilidade transformadora aconteceu na região do Caribe, onde uma população de escravos conseguiu tomar o controle das instituições locais. Na região de São Domingos, tradicional espaço de colonização francesa, desenvolvia-se diversas monoculturas, principalmente de açúcar, que garantiam expressivas rendas à Coroa Francesa. Para o acúmulo dessas riquezas, os colonizadores franceses utilizaram de uma grande população de escravos africanos.

No ano de 1789, a França viveu um processo revolucionário inspirado na defesa de ideais de liberdade e igualdade. Ao saber das notícias e dos conteúdos da Revolução Francesa, os escravos oprimidos passaram a exigir a ampliação destes ideais revolucionários para a colônia de São Domingos. Enraivecidos pela dominação da elite branca e monarquista da colônia, um grupo de descendentes africanos liderados pelo alforriado François Dominique Toussaint, mais conhecido como Toussaint L’Overture, e o líder religioso negro Dutty Boukman iniciaram um revolução.

Em 1791, Toussaint L’Overture instigou os escravos a exterminarem a população branca do local. A rebelião se iniciava e os escravos logo receberam as primeiras ofensivas das tropas francesas. Tempos depois, outras expedições francesas, inglesas e espanholas tentaram tomar controle da situação instalada na ilha. No ano de 1801, L’Overture foi designado como o novo governador da ilha. No entanto, as tropas de Napoleão Bonaparte invadiram mais uma vez a região e aprisionaram o governador, que morreu dois anos depois na cidade de Paris.

A morte de Toussanit não enfraqueceu as lutas dos escravos na ilha de São Domingos. Em 1804, o ex-escravo Jean-Jaques Dessalines organizou novos confrontos que deram a vitória à população negra e selou o fim da dominação francesa na região. No dia 1º de Janeiro, daquele mesmo ano, Dessalines tornou-se imperador do Haiti, nome originalmente dado pelas populações indígenas que habitavam a ilha de São Domingos.

Dois anos mais tarde, em 1806, Dessalines foi assassinado. A sua queda do governo provocou uma disputa interna que resultou na divisão dos territórios em dois regimes: um monárquico, e outro republicano. Somente em 1820, sob a liderança de Jean Boyer, os territórios do Haiti foram reunificados por um governo de orientação republicana.

 

fonte: Rainer Sousa
Mestre em História (mundoeducação.com)

 

por: DetetivesDaHistoria

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s