Ícone da Semana – Adam Smith

Essa semana, os Detetives da História trazem para você um inenarrável filósofo iluminista que fez história com suas teorias (Egoísmo e Altruísmo; A livre concorrência; Divisão do trabalho; Crescimento econômico; etc.). Em 1776, publicou A riqueza das Nações, uma análise sobre o funcionamento das sociedades comerciais e problemas associados à divisão do trabalho, ao valor, à distribuição da renda e à acumulação de capital. Este é o Adam Smith.

Economista escocês (6/1723-17/7/1790). Um dos teóricos mais influentes da economia moderna, responsável pela Teoria do Liberalismo Econômico. Nasce em Kirkcaldy e estuda em Glasgow e em Oxford, na Inglaterra. Em 1751 é nomeado professor de lógica na Universidade de Glasgow e, no ano seguinte, também se encarrega da cátedra de filosofia moral. Interessado em muitos ramos do conhecimento, entre os quais filosofia, história e ciências exatas, publica um importante tratado sobre moral, Teoria dos Sentimentos Morais (1759). Cultiva amizade com filósofos, como David Hume, e inventores, como James Watt.

Em 1763, durante viagem à França e à Suíça, entra em contato com os fisiocratas. Volta para a Escócia e publica sua principal obra, Investigação sobre a Natureza e as Causas da Riqueza das Nações. Nela, define os pré-requisitos para o liberalismo conômico e a prosperidade das nações, como o combate aos monopólios, públicos ou privados; a não-intervenção do Estado na economia e sua limitação às funções públicas de manutenção da ordem, da propriedade privada e da justiça; a liberdade na negociação do contrato de trabalho entre patrões e empregados; e o livre comércio entre os povos. Morre em Edimburgo.

Em plena época do Iluminismo, Adam Smith tornou-se um dos principais teóricos do liberalismo econômico. Sua principal teoria baseava-se na ideia de que deveria haver total liberdade econômica para que a iniciativa privada pudesse se desenvolver, sem a intervenção do Estado. A livre concorrência entre os empresários regularia o mercado, provocando a queda de preços e as inovações tecnológicas necessárias para melhorar a qualidade dos produtos e aumentar o ritmo de produção.

As ideias de Adam Smith tiveram uma grande influência na burguesia européia do século XVIII, pois atacavam a política econômica mercantilista promovida pelos reis absolutistas, além de contestar o regime de direitos feudais que ainda persistia em muitas regiões rurais da Europa.

A teoria de Adam Smith foi de fundamental importância para o desenvolvimento do capitalismo nos séculos XIX e XX.

 Algumas frases famosas do nosso ícone:

– “Nenhuma nação pode florescer e ser feliz enquanto grande parte de seus membros for formada de pobres e miseráveis.”

– “A riqueza de uma nação se mede pela riqueza do povo e não pela riqueza dos príncipes.”

– “Impostos que visem a prevenir, ou mesmo reduzir a importação, são evidentemente tão destrutivos das rendas alfandegárias quanto a liberdade de comércio.”

Fonte: suapesquisa.com  e  algosobre.com

 

Imperdível, semana que vem, os Detetives virão com mais um ícone da nossa história.

 

Por: DetetivesdaHistoria

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s