Ícone da Semana

   Essa semana os Detetives trazem para você uma inolvidável Imperatriz do Brasil que teve uma participação essencial na independência do país. Com asserção, este é um Ícone que não poderíamos deixar de aduzir.

Maria Leopoldina

     Primeira imperatriz do Brasil, Maria Leopoldina nasceu em Viena, Áustria, em 22 de janeiro de 1797; faleceu em 11 de dezembro de 1826, no Rio de Janeiro. Além de ser a imperatriz do Brasil, entre os anos de 1822 e 1826, foi arquiduquesa da Áustria e rainha de Portugal por um curto período, em 1826.

Imagem

     Seu nome completo era Carolina Josefa Leopoldina Francisca Fernanda Beatriz de Habsburgo-Lorena, era a sexta filha de Francisco 1°, imperador da Áustria, e 2º da Alemanha, do segundo casamento de seu pai; sua mãe era Maria Teresa de Bourbon-Sicília.

     Perdeu a mãe aos 10 anos de idade, e a madrasta anos depois. As negociações de seu casamento com D. Pedro I iniciaram em 1816, a Corte portuguesa tinha o objetivo de ligar a sua Casa a uma forte monarquia da Europa, e à Áustria, interessava contato ao comércio de produtos tropicais.

   O casamento foi celebrado por procuração em maio de 1817, chegou ao Brasil em dezembro, e nos primeiros nove anos de casamento, teve sete filhos e dois abortos.

     Em 1821, D. João VI, intimidado pelas tropas portuguesas retornava a Portugal, deixando D. Pedro como Regente. Mas a legislação portuguesa esvaziou os poderes do príncipe e exigia que ele voltasse a Portugal.

     Dona Leopoldina teve um papel decisivo na nossa independência. Em agosto de 1822 , os brasileiros já estavam cientes que Portugal pretendia chamar D. Pedro de volta, rebaixando o Brasil, de Reino Unido para voltar a ser uma simples colônia.

     Com a eminência uma guerra civil que pretendia separar a Província de São Paulo do resto do Brasil, D. Pedro passou o poder à Dona Leopoldina no dia 13 de Agosto de 1822, nomeando-a chefe do Conselho de Estado e Princesa Regente Interina do Brasil, com todos os poderes legais para governar o país durante a sua ausência e partiu para apaziguar São Paulo.

     Princesa Leopoldina assinou o Decreto da Independência, separando o Brasil de Portugal em 2 de setembro de 1822, mas temendo uma repercussão negativa, por ela ser austríaca, José Bonifácio aconselhou-a a deixar o anúncio do decreto assinado a cargo de D. Pedro, este proclamou em 7 de setembro de 1822 o Decreto da Independência assinada pela Princesa Regente.

     O que a incomodava eram as traições do esposo, D. Pedro I havia nomeado como dama de companhia da imperatriz uma de suas amantes, a Domitila de Castro, conhecida como Marquesa de Santos. Em desgosto, grávida e sentindo-se humilhada, abortou e faleceu na ausência de D. Pedro I.

~

Fonte:

-Revista Nossa História publicada pela Biblioteca Nacional, no 11, de setembro de 2004, no artigo: Clóvis Bulcão. A Austríaca que Amou o Brasil, páginas 30 a 33.

-brasilescola.

-educacao.uol/biografias.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s