Invenção da Semana – A roda

 

A invenção desta quarta foi muito importante no ramo dos transportes, ela facilitou e acelerou em muito o percurso a ser feito pelo veículo, ela começou com formatos não tão perfeitos como os dos dias de hoje, mas com o passar do tempo foi sendo a aperfeiçoada e se formando, ficando mais… redonda, com esta dica fica fácil não é ? Então, sem mais delongas, nós Detetives da História, apresentamos a invenção de hoje, a roda.

 

 

A roda é talvez uma das invenções principais na trajetória de desenvolvimento tecnológico do ser humano. Com ela, os povos primitivos tornaram o transporte mais rápido e fácil, além de contribuir para transformar as primeiras aglomerações humanas em cidades maiores.

A prova mais antiga de seu uso data de cerca de 3500 a.C., e vem de um esboço em uma placa de argila encontrada na região da antiga Suméria, na Mesopotâmia (atual Iraque), mas é certo que sua utilização venha de períodos muito mais remotos.

As rodas mais antigas encontradas em explorações arqueológicas são de cerca de 3000 a 2000 a.C. e estavam em túmulos na mesma Mesopotâmia. Eram compostas de três tábuas presas por suportes em forma de cruz, e a tábua central possuía um furo natural no nó da madeira. A madeira em volta do nó costuma ser bastante resistente, por isso, acredita-se que esta girava em torno de um eixo fixo, apesar do restante do veículo à qual estas rodas pertencessem não tenha sido conservado o bastante para identificar se era assim mesmo que o conjunto funcionava.

O primeiro aperfeiçoamento em relação aos modelos originais foi provavelmente a colocação de um aro de madeira, o que permitia um desgaste uniforme da roda em toda sua superfície. Tal aro podia ser uma peça única, feita de madeira curvada com o auxílio de vapor, ou então, de vários segmentos emendados.

Quinhentos anos mais tarde surgiriam os primeiros aros de metal. A roda com raios surge na Mesopotâmia ou na atual Turquia, e é utilizada em carros de guerra. Em torno de 1500 a.C., os egípcios dominam a tecnologia, com a construção de rodas de de quatro raios, bastante leves.

A partir daí, seu desenho permaneceria quase inalterado durante muito tempo, sendo que as únicas inovações estão ligadas a usos diversos da roda, como o emprego em moinhos d’água e sarilhos (mecanismos de lançamento ou de arrasto).

Até o século XVI, a inovação mais relevante foi a criação da roda de disco abaulado, com os raios dispostos em forma de cone achatado. Por volta de 1870 surgem as rodas de raios de arame, destinadas às bicicletas, e uma década depois é desenvolvido o aro pneumático, (apesar de patenteado quarenta anos antes).

Apesar de invento básico e elementar, a roda ainda encontra importância fundamental em meio à nossa sociedade, em especial nos modernos automóveis. Os primeiros modelos traziam rodas de aros de madeira, como o das carroças.

Logo são adotadas rodas com raios de arame e as chamadas “rodas de artilharia”, fabricadas em uma única peça de ferro fundido. Na década de 1930, surgem as rodas de aço estampado, mais leves, resistentes e baratas.

Atualmente, o tipo mais popular entre o consumidor são as rodas de liga leve.

 

Fonte: Infoescola

 

Por: DetetivesDaHistoria

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s